sábado, 5 de julho de 2008

Situação de emergência

Olá a todos,
ontem vivemos todos um episódio doloroso. O meu pai teve uma cólica renal, muito desgastante. Vou-vos contar como tudo aconteceu:
Pouco passava das 18h quando recebemos (eu e a minha mãe) um telefonema do meu pai, dizendo que estava com uma dor forte abdonimal na área do rim esquerdo. Desconfiou-se logo de cólica, pois ele já tinha antecedentes bem como um episódio em 2001. A minha mãe disse logo para ele vir para casa, que ela ia preparar os comprimidos para lhe dar. Ele chegou 15 minutos depois e mal entrou em casa, vinha agarrado ao rim esquerdo, todo contorcido com dores. A cara dele estava pálida e quase que se confundia com as paredes brancas do hall de entrada. Murmurou baixinho à minha mãe que estava com muitas dores, para lhe dar alguma coisa rápida. A partir daí pareciamos que estavamos numa qualquer urgência de um hospital. A minha mãe ao vê-lo assim ficou assustada, e mandou-o logo deitar-se na cama. O meu pai pouco falava, tinha a respiração ofegante e muitas, muitas dores.
- Vou ter que te picar - Disse a minha mãe.
- Faz o que for preciso por favor rápido - Murmurava o meu pai.
Rapidamente a minha mãe viu que a unica solução era preparar medicamentos e dar directamente na veia. Foi buscar os soros, picou o meu pai, e começou por dar-lhe Tramal 100 e Buscopan logo depois. O meu pai continuava com dores imensas. Dois meses antes o meu pai tinha ido ao Urologista e tinha-lhe sido detectado uma pedra de ácido úrico no rim esquerdo, com 8 milimetros. E tinha sido hoje que a bendita pedra tinha decido sair, para mal dos pecados dele. Passados 30 minutos, o ardor sentia-se muito intensamente mas a dor no rim tinha baixado ligeiramente de intensidade.
Eram boas noticias, significava que estava a fazer efeito e meu pai dava os primeiros sinais de alívio, ao fim de 2 horas de sofrimento. Pouco tempo depois, a minha mãe decidiu dar mais um saco de soro com Nolotil para que ajudasse a pedra a ser expelida. Foi quando novos problemas surgiram! Depois de ter feito todo o Nolotil o meu pai começou a ficar com um edema pálpebral, as pálpebras incharam de tal maneira, que assustava. Por cima dos olhos erguia-se uma bola, tapando os olhos a pouco e pouco. Pouco depois o meu pai começa a tossir e a dizer que lhe custava engolir. Foi aí que a minha mãe não teve dúvidas: o meu pai estava com uma reação alérgica ao Nolotil grave, que poderia culminar num edema da glote, ou seja, o meu pai deixaria de respirar. Bem, nova correria desta vez até ao Hospital da CUF para resolver a reacção alérgica, e as dores renais, que não tinham dado descanso. Lá injectaram corticóides para contrariar o Nolotil e passado 1h viemos todos para casa. Bem, tive tanta pena do meu pai coitadinho! O que vale é que temos a grande mãe que temos, e que nos ajudou imenso em toda a situação.
Obrigado mamã! Melhoras papá!

2 comentários:

liliana disse...

As melhoras para o papá! Foi só um susto!

Beijinhos

Tété & Xavier disse...

Cá em casa o papá também sofre muito com os "calhaus" que tem nos rins e por vezes nem o bendito tramal faz efeito...
Mas de todo o sofrimento felizmente tudo melhorou e espero que assim continue!
Beijos
Tété & Xavier