quinta-feira, 31 de julho de 2008

A comida que mais gosto


Não, não é chocolate!

Deliro quando a minha mãe come daquelas coisas pequeninas, parece que têm duas cabeças sabem? Olhem é uma emoção!! Muitas vezes passo o dia a pensar, quando é que ela se lembra de comer aqueles biscoitos que eu gosto tanto? Farto-me de dar toques cá dentro, mas não adianta. Mas quanto a vejo agarrar no pacotinho... Hmmmm!! Até estremeço da cabeça aos pés. Ela come um, eu fecho os olhos e fico a saborear... devagarinho... parece que estou no paraíso! Depois a minha mãe come outro e não consegue mais parar até devorar-mos as duas o pacote inteiro. É biscoitinhos daqueles uns atrás dos outros, parece que não vai haver mais amanhã, sabem? São estaladiços, crocantes, saborosos... ai já estou a salivar! A minha mãe chama-lhe línguas de gato, conhecem?

Simplesmente adoro!

terça-feira, 29 de julho de 2008

25 semanas

Olá!

Ontem fui fazer a eco de re-avaliação da "suposta" dilatação encontrada na primeira ecografia morfológica. Como sabem, não estando eu contente, decidi fazer uma outra morfológica em Coimbra onde desmentiu todo e qualquer problema detectado.

Ora ontem, a suposta dilatação estava maior do que da primeira vez. Os meus pais foram lá apenas para me ver de novo, pois já estava decidido que não iam acreditar numa única palavra daquele médico. Foi também a última vez que lá meti o pézinho, desde já vos digo. Daqui por 15 dias quando for de férias, volto a fazer uma avaliação em Coimbra, já que o médico mediu o bacinete novamente de forma errada. Vejam lá, que conseguiu ainda bater o record de duração da ecografia 3 minutos e 45 segundos! E foi porque pedi para ele tirar uma foto 3D para mostrar aos meus pais!

Bem, o que realmente interessa reter da visita ontem, é que estou mais gira, mais elegante, e mais compostinha!! Estou com 715 gramas, e um fémur que já mede 5 centímetros e meio. Afinal não estava sentada como a minha mãe acreditava que estava: estou de cabeça para baixo, mas na diagonal, assim meio de esguelha! É para ser diferente hihih

Beijos


Eu a ver se dormia uma soneca

domingo, 27 de julho de 2008

Decoração quarto - Concluído!

Olá a todos,

Este fim-de-semana, os meus pais dedicaram-se à conclusão do meu quartinho. Os meus papás dedicaram-se bastante e fizeram tudo com muito carinho e amor. Sentia que a cada pincelada que davam na parede era que como um beijo em mim. Cada gota de suor que caia pela cara de ambos era de alegria e prazer. Sentia que ao ver o quarto a ficar tão bonito só me apetecia agarrar-me a eles e dizer que os amo! Amo-vos papás!


video

sexta-feira, 25 de julho de 2008

Casinha

Segue a minha casinha por fora,
tão bonita e mimosa!
Quem quer fazer uma festinha,
na menina?

A minha mãe fica espantada
com a força que já tenho
Com tanta traulitada
Vou ali e já venho!

Já ninguém me segura,
Nesta casinha pequena,
Vou aumentar a construção
E fazer um casarão!

Dou voltas sem parar
Esta casa eu estou a amar
A minha mãe já não me pode ouvir
E eu parto-me a rir!

E quando ela não consegue dormir?
Fico eu a ginasticar
E ela ralha sem parar
E eu sempre a sorrir!



Casinha às 24 semanas

quinta-feira, 24 de julho de 2008

24 Semanas

Olá a todos!

Cheguei ao meu segundo nível de sobrevivência. Se no primeiro nível (12 semanas) o risco de aborto era grande e eu safei-me, eis que ao chegar a o segundo nível, as minhas chances de conhecer a minha querida mãe e o mimoso do meu pai aumentaram. Estou a fazer contas de ser lá para dia 12 de Novembro, mas como ainda falta muito tempo, depois logo vejo se me apetece nascer nesse dia.

Andei a ler e parece que é a partir das 24 semanas que começo a ter alguma hipótese de sobreviver caso nascesse agora. As hipóteses seriam infímas, mas sempre é melhor que nada! Teria que passar o resto dos meses numa outra casinha (artificial) , por isso acho que prefiro a da mamã!

Dizem que no final desta semana, já devo estar com pelo menos 650g e cerca de 28 centimetros da cabeça aos pés.

Está tudo a postos para iniciar as pinturas do meu quartinho no próximo sábado. Até lá, irei deixar uma foto da minha casinha e depois mostro como ficou o quartinho.

Beijocas!

terça-feira, 22 de julho de 2008

Insónias

Olá!

Ontem a minha mãe ralhou comigo. Dizia que eu não a deixava dormir, mas eu não conseguia estar quieta! Eram 22h quando o relógio badalou a típica hora de deitar. Eu, fartinha de estar sem nada para fazer, recusava-me a ir deitar.

- Sara, a mãe agora vai comer um iogurte para tu dormires descansada - Informava a minha mãe.
"Pum" saltava um murro meu na casinha para lhe dizer que não queria ir dormir
- Sara, agora vou comer um copinho de leite para acalmares - Dizia a minha mãe já de copo na mão em direcção à boca.
"Pum, Pum" continuava eu a bater, pois ela ainda não tinha percebido!

Fomos para a cama, aconchegou-me as almofadas na casinha para estar apoiada, e lá disse boa noite. Eu ainda tentei resistir, mas sem sucesso. O truque que a minha mãe tinha usado (do leite) era muito forte para mim. Mas pensei para mim "espera que vais ver!".

A madruga ia alta, quando acordei novamente. Eram 3h30 da manhã. Estava na hora de colocar em prática o meu plano diabólico. Bastou eu começar a saltar para a minha mãe acordar instantaneamente.
- Sara então? Está quieta! É a bexiga da mãe? Está cheia e queres mais espaço? Eu vou à casa de banho então – Dizia a minha mãe levantando-se em seguida.
"Pum, Pum, Pum" continuava eu na minha ginástica.
Voltámos para a cama, e eu sem parar. Assim que desconfiava que a minha mãe ia a fechar o olho, lá dava mais um pontapé na casinha. Uma hora depois, a minha mãe já não estava a achar graça à brincadeira. Ela tinha que se levantar às 6h e não ia dormir quase nada.

"Pum, Pum, Pum"continuava eu, alegre e bem disposta. A minha mãe não pregou mais o olho nessa noite, mas em compensação fiz o exercício todo para esse dia!

Beijos

segunda-feira, 21 de julho de 2008

O fim-de-semana

Bom dia!

Passámos o fim-de-semana todo em casa. No sábado fomos comprar tintas para pintar uma das paredes do meu quartinho de cor-de-rosa rebuçado. Comprámos ainda uns stickers de princesas para colar nessa parede e em alguns móveis.

Da parte da tarde fui à piscina com minha mãe. Gostei de lá ir, acho que dei umas piruletas e agora parece que estou de cabeça para baixo (não tenho a certeza pois ainda não há luz cá em casa). A minha mãe sentiu a minha volta mais estranha, mas nem ela, nem eu temos a certeza em que posição eu estou hihihi

No domingo, foi dia de seca. O humor da minha mãe ficou carrancudo, influenciando toda a gente lá em casa. A vontade de fazer alguma coisa era nenhuma, nem de ir a qualquer lado. Só o meu pai se divertiu um pouco a configurar o router que havia lá em casa. Não sei como é que alguém pode gostar dessas coisas, não achei piada nenhuma. A minha mãe só se ria dele, que andava lá todo contente.

quinta-feira, 17 de julho de 2008

Saco Novo


Bom dia a todos!

Aproxima-se mais um fim de semana, e eu estou toda contente. Ontem fui à piscina e não é que tinha muito mais espaço para me mexer? Foi tão divertido! Normalmente a minha casinha é forte e dura, e dentro da piscina ficou assim molinha. Eu acho que sei porque é que a minha mãe me levou ontem. É que ela anda preocupada sabem?
É que eu achei uma posição espetacular para estar todo o dia: sentada! Olhem, está-se mesmo bem. E depois esta posição é a que me dá mais jeito para pisar a bexiga da minha mãe! Sempre que quero dar um passeio carrego naquele sitio, e ela levanta-se logo e vamos dar uma volta. Foi um sistema impecável que eu arranjei hihihi
A preocupação dela é se vou continuar assim, ou se vou virar-me. Eu para já estou muito bem sentadinha, e não estou a pensar virar para lado nenhum ainda !

Recebi mais uma prendinha, desta vez dos padrinhos T. e B. ! Obrigada! A minha mãe diz que é para eu levar produtos de higiene lá, mas como o saco é meu, vou lá meter as minhas bonecas todas!

Beijos


Saco para carregar as minhas bonecas



quarta-feira, 16 de julho de 2008

Dos papás para ti


Olá Sara, são os teus papás.

Esta é a primeira carta que te dirigimos, pois queremos partilhar contigo o que sentimos neste momento.

Queremos que saibas que foste uma menina desejada e programada. Olhámos um para o outro e sentimos que nos faltava algo. Algo de maravilhoso, algo que nos enchesse de amor o coração.

Olhámos um para o outro e havia tanto amor para te dar! Um amor especial, um amor incondicional que nunca acabará nunca! As nossas preocupações serão contigo, as nossas alegrias serão contigo, a nossa felicidade será contigo.

Partilhamos da ideia que sempre houve em nós um vazio, vazio esse que só pode ser preenchido por ti. Diz a sabedoria popular, que só nos sentimos verdadeiramente completos quando temos um filho, e nós concordamos inteiramente com isso.

Queremos que saibas que vais encontrar uma família que te AMA para sempre, bem disposta, e que tudo fará para que te sintas bem. Estamos muito, mas muito felizes por estares a chegar para junto de nós.


Com amor,
Os papás.

terça-feira, 15 de julho de 2008

23 semanas

Olá a todos!

Esta experiência tem sido bastante agradável. Estou muito confortável nas minhas instalações, e espero por cá continuar por mais uns tempos. Já faço grandes festas cá em casa, e agora a minha mãe (e muitas vezes o meu pai) já sentem tudo, pois eu já não disfarço nadinha. Ontem até estava sem sono, e decidi fazer algum exercício, quem não gostou da ideia foi a minha mãe.

Mas sabem a novidade? Ontem a minha mãe tentou armar-se em espertinha comigo! Ouvi-a falar com as colegas:

- Já tentaste ouvir a tua menina ? - Perguntou a Ana uma colega da minha mãe enquanto picava um doente com um abocate do tamanho gigante.
- Ainda não - Respondeu a minha mãe, tentando segurar um outro doente que se tentava desesperadamente atirar da cama para o chão.
- Vai lá e pede à Dra. Silva, eu aguento aqui isto - Recomendou Ana, fazendo outra tentativa agora no outro braço do doente.
- Sara, a mãe vai-te ouvir o coração! Porta-te bem, e anda aqui para a ponta da barriga, está bem? - Disse-me a minha mãe.

Ela foi buscar o estetoscópio, e encostou na minha casinha. Nada se ouvia. Moveu ligeiramente o estetoscópio para a esquerda, susteu a respiração para ouvir melhor... e nada se ouvia. Voltou a mover o aparelho, concentrou-se o mais que pode... e nada se ouvia.

- Sara? Não te escondas! Ordenava a minha mãe.
E eu escondida! Hihihih



sábado, 12 de julho de 2008

Segunda Ecografia Morfológica

Olá a todos!

Cá estou eu de novo, para vos contar como foi a ecografia morfológica de despiste/evolução do problema da dilatação do rim detectado. Eis como tudo aconteceu:

Já passava das 21h quando Eu, a minha Mãe, o meu Pai a tia Kikas e a minha avó Belmira passavam a porta da Maternidade Bissaya Barreto em Coimbra. Era uma autêntica excursão e já com um ar de "romaria" em minha honra. Naquela altura, senti-me importante. Pensei, tanta gente que se preocupa comigo! Fora claro, todos os outros familiares que torciam por mim em casa. O senhor da bata branca foi chamado, e entrámos para a sala das ecografias. Ninguém falava, todos estavam com ar sério, incluindo o senhor da bata branca. Apenas eu me encontrava perfeitamente descontraída.

- Deite-se por favor - Ordenou o senhor da bata branca à minha mãe.
Mecanicamente, e sem dizer qualquer palavra, a minha mãe fez o que lhe tinha sido ordenado.
- Os restantes, por favor dirijam-se ao outro lado da sala, onde poderão ver tudo – Continuava o senhor da bata branca num tom autoritário.

A sala das ecografias era grande, ao centro estava disposta a maca, do lado esquerdo estava posicionado o ecógrafo e o computador. Num dos cantos da sala, havia uma televisão que estava ligada ao ecógrafo. Havia ainda uma secretária e uma cadeira, de aspecto escuro. A sala estava apenas iluminada por um candeeiro instalado na secretária, e pela luz que o monitor do ecógrafo emanava. O ambiente, era por isso, sombrio e frio, fazendo companhia aos pensamentos preocupados de toda a audiência.

Os minutos que se seguiram foram de completo silêncio. Sentia que o senhor da bata branca analisava cada centímetro da minha casinha, e de mim. O meu Pai ora olhava para a minha mãe deitada, ora para a televisão tentando não perder pitada.

- Cavidades do coração ok - Disse finalmente o senhor da bata branca, dando inicio ao exame.

E mal começou a análise ia explicando tudo o que se via no monitor. O meu Pai estupefacto, abria e fechava a boca sem parar. Nada disto tinha acontecido na morfológica anterior, nada tinha sido explicado, tudo tinha ocorrido depressa demais. Tão depressa, que desde que começou a ecografia até ao seu término decorreram 8 minutos. Agora tudo estava a ser diferente! O senhor da bata branca continuou, e até analisou partes de mim, que nunca antes tinham sido verificadas.

- Vamos ver então agora os rins - Anunciou o senhor da bata branca, depois de ter analisado inúmeras coisas, onde já tinha passado cerca de 1h. Os instantes seguintes foram de expectativa total. Eu, que já estava completamente trocada de tanto abanarem a minha casinha, conseguia ainda sentir o coração do meu Pai a bater mais depressa e a egolir em seco.

- Dilatação dos rins normal - Ouviu-se pouco depois. Bem, o meu Pai deu um salto de alegria, e pouco faltou para os restantes acompanhantes fazerem uma festa e abraçarem-se todos. Até o senhor da bata branca foi contagiado pela alegria e por instantes perdeu a seriedade que até então o tinha caracterizado. Depois da agitação inicial, lá nos explicou, que a dilatação dos rins deve-se medir transversalmente (onde consegui 5 milímetros em cada rim) e não longitudinalmente (onde dava os tais 7 milímetros). Disse ainda que os 5 milímetros são perfeitamente normais para a minha idade, e que dependia do líquido que eu bebia, e este variava bastante! (Bem, eu aqui nesta parte calei-me e não referi que às vezes sinto assim sede, e dou uns golinhos.) Que estava tudo bem!

Bem, como é de esperar foi o alívio completo aqui em casa!
Bom fim-de-semana!

sexta-feira, 11 de julho de 2008

Chegou o berço!


Bom dia a todos!

Olhem só, se não é fantástico o meu berço? Escolhido especialmente por mim! Assim que passámos por ele fartei-me de dizer à minha mãe que era aquele o escolhido! Antes que me perguntem porque escolhi azul, é porque o resto do quarto já vai ser em tons de rosa. Ora eu gosto de cor-de-rosa, mas tudo não. Assim já fica a minha caminha em azul para ficar muito giro! Resta-me agradecer aos meus avós Concha pela oferta do meu berço - Obrigada!

Hoje vou fazer outra ecografia morfológica. A minha tia Kikas conseguiu-me uma vaga pelo que vamos lá ver se o outro problema se mantém ou se já passou. Amanhã venho contar as novidades.


Onde irei ter sonhos fantásticos

quinta-feira, 10 de julho de 2008

Casinha e Carrinho

Olá a todos,

Aqui está a ultima foto da minha casinha, o que acham? Por acaso segue a tradição popular das barrigas das meninas, que consiste em alargarem mais para o lado ao invés das barrigas de menino, muito mais pontiagudas. Agora como cresço a olhos vistos, a minha casinha está a ficar verdadeiramente com algum espacinho. Já consigo dar pontapés maiores cá dentro, e a minha mãe já os distingue. É que às vezes estou a fazer festinhas, e outras vezes kick-boxing!


A minha casinha com 22 semanas


Outra novidade é que ontem chegou o assento para o meu carrinho de passeio. Aqui está ele, super desportivo, capota para levar os cabelos ao vento nos dias solarengos no parque, tapa-pés para que nenhum frio entre, e uma janelinha para dizer adeus aos rapazes que encontrar pelo caminho (espero que o meu pai não leia esta parte). Este é o tal que se transforma em alcofa, pelo que se me deixar dormir sem querer, ninguém me tem que mexer!


O meu carrinho super desportivo

Quanto a planos para o fim de semana, vislumbra-se uma ida à praia da Figueira com os meus tios. Deixa lá ver se a mamã não se corta até lá! O meu pai está em pulgas para ir.

Beijos a todos



terça-feira, 8 de julho de 2008

22 semanas

Olá a todos,

Cheguei ao patamar das 22 semanas. Como tem sido hábito cá por casa, passo os dias a comer e a dormir. Confesso que tenho saudades de pegar nos tijolos e na massa e andar toda suja das obras. Era uma actividade que fazia que me deixa saudades, para além do stress que me causava. Agora os dias paracem que custam mais a passar, noto também que dantes tinha muito mais espaço para me mexer. Este fim de semana vou visitar os meus outros avós a Coimbra, pelo que lá vamos fazer mais uma viagem. A minha tia Kikas (enfermeira de maternidade reformada) é capaz de me arranjar uma nova eco para ver como está aquilo do rim no fim de semana, vamos ver.
De resto as novidades não há. Depois deixo aqui a foto da minha casinha por fora, pois já está maiorzinha.

Beijos a todos

segunda-feira, 7 de julho de 2008

A minha foto 4D

Bom dia a todos,

Depois do episódio de emergência vivido cá em casa no fim-de-semana, eis que já está tudo bem. A maldita pedra foi expelida e tudo voltou ao normal. Como tal, aproveitamos e fomos dar uma voltinha ao evento Barrigas de Amor, que pretendia juntar o maior numero de grávidas possível naquele dia, em Oeiras. Eu estive lá! Muito direccionado para dar a conhecer as empresas do ramo, foi engraçado. Havia palestras e algumas até interessantes, mas durante as duas horas e meia que lá estivemos não assistimos a nenhuma. A minha mãe só queria recolher amostras dos produtos todos, e por isso andávamos entretidas. Havia ainda uma parte onde o meu pai tentou escutar o meu coração com um aparelho, mas o vento era mais que muito e não foi possível. E como prometido, aqui está a foto.
Uma última consideração sobre a foto: qualquer parecença minha e alguma extraterrestre são puras coincidências. Tenham em conta que estava magrinha, esquelética, e que estava a mexer muito, distorci por completo a imagem. Já agora queriam uma foto em condições não? ihihi

Beijos!





Apanharam-me a sair da casa de banho! Malandros

sábado, 5 de julho de 2008

Situação de emergência

Olá a todos,
ontem vivemos todos um episódio doloroso. O meu pai teve uma cólica renal, muito desgastante. Vou-vos contar como tudo aconteceu:
Pouco passava das 18h quando recebemos (eu e a minha mãe) um telefonema do meu pai, dizendo que estava com uma dor forte abdonimal na área do rim esquerdo. Desconfiou-se logo de cólica, pois ele já tinha antecedentes bem como um episódio em 2001. A minha mãe disse logo para ele vir para casa, que ela ia preparar os comprimidos para lhe dar. Ele chegou 15 minutos depois e mal entrou em casa, vinha agarrado ao rim esquerdo, todo contorcido com dores. A cara dele estava pálida e quase que se confundia com as paredes brancas do hall de entrada. Murmurou baixinho à minha mãe que estava com muitas dores, para lhe dar alguma coisa rápida. A partir daí pareciamos que estavamos numa qualquer urgência de um hospital. A minha mãe ao vê-lo assim ficou assustada, e mandou-o logo deitar-se na cama. O meu pai pouco falava, tinha a respiração ofegante e muitas, muitas dores.
- Vou ter que te picar - Disse a minha mãe.
- Faz o que for preciso por favor rápido - Murmurava o meu pai.
Rapidamente a minha mãe viu que a unica solução era preparar medicamentos e dar directamente na veia. Foi buscar os soros, picou o meu pai, e começou por dar-lhe Tramal 100 e Buscopan logo depois. O meu pai continuava com dores imensas. Dois meses antes o meu pai tinha ido ao Urologista e tinha-lhe sido detectado uma pedra de ácido úrico no rim esquerdo, com 8 milimetros. E tinha sido hoje que a bendita pedra tinha decido sair, para mal dos pecados dele. Passados 30 minutos, o ardor sentia-se muito intensamente mas a dor no rim tinha baixado ligeiramente de intensidade.
Eram boas noticias, significava que estava a fazer efeito e meu pai dava os primeiros sinais de alívio, ao fim de 2 horas de sofrimento. Pouco tempo depois, a minha mãe decidiu dar mais um saco de soro com Nolotil para que ajudasse a pedra a ser expelida. Foi quando novos problemas surgiram! Depois de ter feito todo o Nolotil o meu pai começou a ficar com um edema pálpebral, as pálpebras incharam de tal maneira, que assustava. Por cima dos olhos erguia-se uma bola, tapando os olhos a pouco e pouco. Pouco depois o meu pai começa a tossir e a dizer que lhe custava engolir. Foi aí que a minha mãe não teve dúvidas: o meu pai estava com uma reação alérgica ao Nolotil grave, que poderia culminar num edema da glote, ou seja, o meu pai deixaria de respirar. Bem, nova correria desta vez até ao Hospital da CUF para resolver a reacção alérgica, e as dores renais, que não tinham dado descanso. Lá injectaram corticóides para contrariar o Nolotil e passado 1h viemos todos para casa. Bem, tive tanta pena do meu pai coitadinho! O que vale é que temos a grande mãe que temos, e que nos ajudou imenso em toda a situação.
Obrigado mamã! Melhoras papá!

sexta-feira, 4 de julho de 2008

Mais uma consulta

Olá a todos!

Cá estou eu acabadinha de chegar de mais uma consulta com o senhor da bata branca. Desta vez a minha mãe foi lá mostrar a eco, e fazer uma avaliação de como estou eu e a minha casinha. Quanto à dilatação, foi-nos dito que não era razão de alarme, para ficarmos totalmente tranquilos que não era nada de mais (os meus papás soltaram um grande supiro de alívio). Ufaaa!
Bem, posso-vos dizer que a minha mãe levou porradinha do doutor, e não foi pouco! No último mês ela engordou 4 kg! Levou nas orelhas e com razão, pois foi um aumento totalmente fora do normal. Ela vinha dizendo que muito do peso estava na fábrica do leite, mas agora nem isso a salvou. Ahahah mamã, essa desculpa já não pega toma!

Estive a ver nos meus apontamentos e vejam só como isto anda:

inicio gravidez ---------> 60kg
dos 0 aos 3 meses ---> 62kg
dos 3 aos 4 mesees --> 64kg
dos 4 aos 5 meses ----> 68kg
(seguindo a lógica matemática, o aumento é exponencial, o que daria no próximo mês mais 8kg!)

O doutor lá a assustou um bocadinho, pois falou que um parto de uma grávida com peso excessivo pode resultar em complicações (para mim e para ela), bem como potenciar os diabetes a mim. Vamos ver se ela agora segue mais à risca aquilo que foi recomendado:

- comer sempre de 2h em 2h
- ficar com um bocadinho de fome nas refeições
- cortar nas gorduras
(leia-se torradas com manteiga mimosa a escorrer)
- cortar nos doces
(leia-se gelados magnum e bolachas waffers de chocolate)
- cortar nos refrigerantes
- cortar nos iogurtes com pedaços e afins
(só naturais!!)

Agora sou eu que te digo mamã: porta-te bem!

Beijocas

Ps. amanhã está prometido a minha foto 4D.

quinta-feira, 3 de julho de 2008

Ainda a morfológica

Bom dia alegriaaa!

Olá a todos, voltei de espírito e mente renovadas. Ontem estive a falar com a minha mãe sobre o que tinha acontecido ontem. Ao princípio ela não gostou muito, e queria dormir pois já passava da hora dela. Mas eu fui persistente e disse lhe que tínhamos de falar, pois não conseguia dormir e principalmente não a deixaria dormir se não me ouvisse. O engraçado é que a minha mãe achou que eu estava a fazer bluff, encostou a cabecinha na almofada, bocejou, colocou a almofada de apoio entre as pernas e a barriga para me apoiar, fez-me uma festinha na casinha e disse boa noite. Foi quando achei que ela realmente estava a falar a sério, o que ela não sabia é que eu também estava. Os minutos seguintes foi eu a saltar, pular, revirar-me toda na casinha. Adivinhem quem ganhou hihihi.

Lá tivemos a conversa de filha para mãe, onde essencialmente lhe disse para não se preocupar com o problema da dilatação, que isso de sofrer por antecipação era errado e.. vá lá digamos assim.. estúpido! E que não queria tristezas cá em casa, quero é alegrias! Que era frequentes aquelas situações e a grande maioria regrediam completamente. Ela teve de concordar e ainda acrescentou que sentia-se com mais esperança ainda de regredir completamente devido a eu ser menina, pois as mulheres são muito mais resistentes que os homens, no que à doença diz respeito (esta parte não vamos contar ao meu pai para ele não ficar triste). Por isso acordamos entre as duas, que o assunto estava encerrado e esquecido até à próxima eco!

Quanto à morfológica, olhem sinceramente não gostei muito. O Senhor da bata branca parecia que me perseguia, e apertou-me a casinha por todos os lados. Tenho 397 gramas, o meu fémur mede 5 centímetros, o perímetro cefálico ao contrário de umas das ecos iniciais já está nos valores normais (já não sou cabeçuda!), e estou no percentil 50. Eu desta vez fartei-me de mexer e fugia para todo o lado! Foi relativamente rápido, acho quem nem a 30 minutos demorou, e até fiquei com o vídeo e ainda me tiraram uma foto a 4 dimensões. Agora é assim, eu acho que não estou grande coisa na foto... mas se pedirem muito eu coloco aqui para verem. Querem ?

Beijos a todos!!!


Ps: obrigado a todas pelo apoio!

quarta-feira, 2 de julho de 2008

A morfológica

Não trouxe boas notícias aos meus papás...

O senhor da bata branca detectou-me uma dilatação em ambos os rins de 7 milimetros. Diz que não é assim muito grave, e que, 90% dos casos passa até final da gravidez. Contudo, tem que ser vigiado e marcou uma nova ecografia extra para daqui a 1 mês para avaliar de novo a situação.
Tudo o resto está bem, estou com 400 gramas, e fiquei um bocado apreensiva com este problema, que obviamente preocupou os meus papás também. E hoje não estou com disposição para mais nada...

Beijos a todos

terça-feira, 1 de julho de 2008

Estou aqui mamã!

Ontem de manhã, acordei bem disposta. A minha mãe é que nem por isso, pois diz que eu não a deixei dormir. Ela colocou almofadas, virou-se de mil maneiras, mas não tinha posição. Dizia que eu estava esticada. Pois não estava! Estava isso sim, a dar umas cambalhotas e às vezes lá tinha que esticar as pernas. Não sei se foi do episódio durante a noite ou não, o que é certo é que a minha mãe teve uma conversinha comigo quando íamos as duas trabalhar.

- Bom dia Sara – Gaguejou a minha mãe entrando no carro.
- Olha agora a mãe vai trabalhar, é para te portares bem, está bem? É que a mãe tem que ganhar dinheiro para comprar as tuas coisinhas – Informava muito calmamente a minha mãe pondo o carro a trabalhar em seguida.

Eu nem disse nada, mas pensei para comigo que a coisa não ia ser assim tão fácil. Afinal uma miúda tem que se entreter durante o dia, não é?

(Passaram-se umas horas....)

- Aiiiiii - Gritou a minha mãe num tom que parecia de sofrimento.
Acorreram logo duas colegas com a preocupação estampada nos rostos adivinhando que alguma coisa má tinha acontecido.
- Foi a Sara mexeu-se aqui duma maneira! - Disse a minha mãe às colegas, desatando-se a rir. E ria, e ria e ria.

É que as vezes a minha mãe está a trabalhar muito compenetrada e esquece-se completamente que eu estou aqui! Esta é a minha maneira de a relembrar: assusto-a mas é no bom sentido ihihihi


Beijocas

PS: Amanhã faço a ecografia morfológica!